Roteiro Temporão

Olá!

Estou disponibilizando em pdf a versão final do roteiro. O processo de gravação das imagens ocorreu ao longo da finalização do roteiro. Tínhamos uma idéia do que pretendíamos, de onde chegaríamos, mas esse percurso conjunto foi fundamental. O roteiro seria mais a parte sonoro, narrada, enquanto as imagens foram pensadas quase que aparte, e só depois incorporadas ao roteiro.

Apesar de ser o 3º tratamento, o roteiro teve um numero muito maior de versões, correções, cortes e ajustes. O primeiro corte tinha 18 páginas, esse possui apenas 11.  Paginas e mais páginas de referências foram descartadas: sites, noticias, livros, filmes, frases, idéias, conceitos, entrevistas, filosofias, imagens, sons, músicas, contos… a cada corte parecia que um pedaço do nosso corpo era dilacerado.

O processo era simples, mas de simples não tinha nada. Lia o roteiro de cabo a rabo, tentando diminuir, tirar daqui, resumir dali. O poder da síntese era a busca. Lia cada frase. “Essa é fundamental”, “essa não tem como tirar”, “frase bonita e poética fica!”… e no final de cada leitura minuciosa a constatação: o roteiro havia diminuído uma, duas linhas… Tomava coragem e recomeçava o percurso…

Foram 3 meses onde o maior aprendizado foi o desapego. Descobri que as vezes é mais difícil se desfazer de uma idéia do que de um bem material. Um belo dia, nas férias em Brasília, depois de uma semana tentando enxugar o roteiro, fui assistir ao filme “A Alma do Osso” de Cao Guimarães. Foi ali que tomei a decisão: precisava deixar o curta mais curto, mais simples e mais sensorial. Menos falas, mais sensações. Menos explicações, mais abertura… ainda hoje acho que não me desprendi suficientemente…

Algumas passagens podiam ser mais simples, menores, e outras coisinhas poderiam ter saído… mas agora já foi, e o resultado estava consumado… depois o trabalho de edição foi outra flagelação… mas com as imagens e os sons gravados, era mais fácil de passar a impressão do que pretendia aos diversos colaboradores que assistiram o doc ao longo do processo de montagem. Foram 8 cortes, que variaram pouco de tamanho (o primeiro tinha cerca de 22 minutos e o final ficou com 19), mais variavam muito no ritmo, na pegada e no movimento.

A Leila era a mais crítica, fazia o papel fundamental de orientadora do projeto. O Nilo com seu olhar de roteirista, depois do primeiro corte, me deu uma sugestão de esquecer o roteiro e trabalhar a montagem do segundo corte somente com as imagens, esquecendo a narração. A Yasmin colaborou muito nos cortes finais, fazendo o papel de espectador final.

Fica ai um convite a leitura do roteiro aos interessados. Aqueles que assistiram o filme para comparar, e aqueles que ainda vão assistir (apesar de recomendar não ler antes de ver para não perder a surpresa e a magia). Também aqueles que querem escrever um roteiro de documentário, fica como um exemplo de processo, mais sempre lembrando que em cada documentário o processo é distinto, e esse foi apenas um caminho.

Roteiro Temporão 3 tratamento

~ por felipecarrelli em 23/02/2011.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: